Obesidade infantil

Hand boy check heart by stethoscope

A obesidade infantil ocorre quando uma criança está acima do peso normal para sua idade e altura. De acordo com o IBGE, atualmente, uma em cada três crianças no Brasil está pesando mais do que deveria. Os quilos extras podem causar complicações para as crianças até a sua vida adulta, mesmo que a obesidade seja revertida nesse tempo. Doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto são algumas consequências da obesidade não tratada. A doença pode levar também a baixa autoestima e a depressão.

Diversos fatores podem causar essa doença, entre as mais comuns, estão fatores genéticos, má alimentação, sedentarismo ou uma combinação desses fatores. Além disso, a obesidade em em crianças também podem ser decorrentes de alguma condição médica, como doenças hormonais ou uso de medicamentos a base de corticoides.

Apesar de uma doença com influência nem todos os pais e mães com obesidade também terão filhos com o problema, assim como pais e mães dentro do peso podem gerar filhos com obesidade. Isso porque a obesidade infantil também tem ligação com os hábitos alimentares da criança e da família, bem como a realização de atividades físicas.

Alguns fatores podem aumentar o risco de obesidade em crianças e adolescentes, como:

  • Dieta desequilibrada, rica em fast foods, alimentos industrializados e congelados, refrigerantes, doces e frituras;
  • Sedentarismo, já que a atividade física ajuda a queimar as calorias ingeridas;
  • Histórico familiar de obesidade, uma vez que a doença tem influência genética;
  • Fatores psicológicos, como estresse ou tédio;

Para tratamento, o ideal é que seja a base de uma alimentação saudável, como frutas, legumes, vegetais, integrais ou refinados; e com práticas de atividades físicas, além de outros requisitos para melhorar em 100% a saúde da criança e do adolescente.